O lixo, o condomínio e todos nós

Artigo publicado na Revista Condomínio nº 112, julho/agosto 2013.

O lixo é indissociável das atividades desenvolvidas pelo homem desde que nossos ancestrais habitavam nas cavernas. Hoje, com a sociedade exposta às tentações do consumo, a quantidade de lixo gerada diariamente no mundo chega a estratosféricos 2 milhões de toneladas.
O estudo do descarte desse formidável monturo produzido a cada dia no planeta é cada vez mais abrangente, numa tentativa desesperada de se equacionar e dimensionar o problema, de cuja solução dependemos nós, nossas vidas e as de nossos descendentes.
O lixo doméstico ocupa lugar de destaque na nossa mentalidade cotidiana, por sua constrangedora presença nas calçadas, dentro de indefectíveis saquinhos plásticos.
O condomínio, onde crescente parcela da população das grandes cidades procura refúgio para alojar sua família, participa obviamente desse processo de geração de lixo, mas tem aptidão natural de poder contribuir com a sociedade, dando exemplos a serem seguidos.
Essa aptidão a que nos referimos decorre da capacidade ínsita, cada vez mais presente na vida condominial, de organização e de difusão de informações pela participação de seus moradores, influenciando positivamente sua comunidade.
É, também, de vital importância a participação das crianças que moram em condomínios nesse processo. Certamente vão disseminar essa cultura com seus amiguinhos na escola, nas reuniões familiares e em qualquer outro evento de que participem, imprescindível ajuda para a criação de uma mentalidade cônscia da seriedade do problema.
Vivemos hoje o estranho fenômeno de produtos que chegam ao mundo quase já na condição de lixo. É a tal da obsolescência planejada, em que os produtos são criados para que se deteriorem em curto/curtíssimo prazo.
Aquelas bugigangas que, num ímpeto de consumo, adquirimos no comércio popular duram cada vez menos; ironicamente, sem que nos demos conta disso, elas também consumiram água, energia e recursos naturais para que fossem produzidas! E, ainda, vão se somar às milhares de toneladas de lixo que terão que ser descartadas!
Não vamos desistir antes de tentar!Imagem

Sobre Orandyr Luz

Consultor, articulista e palestrante, especialista em gestão condominial. Autor dos livros "Evolução Histórica do Condomínio Edilício", São Paulo/SP: Editora Scortecci, 2013, "O condomínio daquela rua - Histórias e causos nesse ambiente peculiar", São Paulo/SP: Editora Biblioteca 24horas, 2015 e "O condomínio & você - Práticas de gestão condominial", Curitiba/PR: Ed. Juruá, 2018. Ciclista, leitor, cidadão.
Esse post foi publicado em sustentabilidade e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s