Fraude no pagamento de boletos de condomínio

Já se disse uma vez que ‘administrar condomínios é uma sina’.

Cada dia mais complexos, na sua estrutura física, organizacional, na hora de prever, provisionar e recolher os tributos, enfim, na sua gestão propriamente dita.

Não bastassem as inúmeras questões com que se envolver na administração condominial, mais esta: um vírus que altera a linha digitável de boletos das cotas condominiais.

O vírus chega ao usuário por meio de e-mails com links e anexos que, ao serem acessados pelas vítimas, instalam o programa na máquina.

Ao franquear um boleto online, em qualquer site, a praga identifica o boleto e altera a linha digitável para desviar a agência e conta do cedente para uma conta determinada pelo vírus. Para impedir a vítima de usar o código de barras, o vírus insere um espaço em branco no meio do código, o que fará com que leitores de código de barra acusem erro.

Caso o boleto seja pago usando a linha digitável, o valor, em vez de ser depositado na conta do condomínio, ou mesmo da administradora, irá para a conta dos bandidos. O valor e o vencimento do documento não são alterados, diminuindo as chances de o problema ser percebido.

fraude em boletos

Quando se pensa que aquele compromisso está devidamente quitado, qual a surpresa quando é informado de que está inadimplente com aquela taxa.

Isso não é propriamente uma novidade, está em curso desde 2013, e empresas especializadas têm trabalhado na solução do problema.

Para a Febraban – a Federação Brasileira de Bancos, uma forma segura de pagar os boletos de condomínio é usar o Débito Direto Autorizado (DDA). Mas para usar o serviço, o cliente precisa se cadastrar como sacado eletrônico nas instituição financeiras na qual tem conta.

É preciso estar ‘antenado’.

Ao receber seu boleto por e-mail, atualmente um meio bastante utilizado, ecologicamente correto inclusive, sem que se perceba, o computador do condômino fica infectado e a alteração é processada.

O crédito, em vez de ser depositado na conta do condomínio, ou mesmo da administradora, vai direto para os bandidos.

Anúncios

Sobre Orandyr Luz

Consultor, articulista e palestrante, especialista em gestão condominial. Autor dos livros "Evolução Histórica do Condomínio Edilício", Editora Scortecci, 2013, São Paulo/SP, "O condomínio daquela rua - Histórias e causos nesse ambiente peculiar", Editora Biblioteca 24horas, 2015, São Paulo/SP e "O condomínio & você - Práticas de gestão condominial", Ed. Juruá, 2018, Curitiba/PR. Ciclista, leitor, cidadão.
Esse post foi publicado em financeiro e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s