É só cuidar!

Dicas para reduzir custos em condomínios

Todos nós que habitamos e vivemos em condomínios achamos que o famigerado boleto que recebemos mensalmente para o pagamento das cotas condominiais poderia vir com um valor menor.

Mas, não espere ler nestas linhas sugestões para redução de efetivo, para diminuição ostensiva de iluminação nas áreas comuns ou para prorrogação nos prazos de manutenções de instalações e equipamentos do condomínio.

O que pode ser feito, além do atendimento aos preceitos da legislação pertinente, da convenção e regulamento interno:

– Cerque-se de uma boa administradora, de uma competente assessoria condominial

– Contrate produtos e serviços com empresas idôneas e regularmente constituídas, precedido de cotações com escopos bem definidos

– Analise detida e tecnicamente todos os contratos de prestadores de serviço

– Não antecipe pagamentos sem a contrapartida do serviço efetivamente prestado

– Formalize o “aceite” quando da entrega de obras, mesmo que de pequeno porte

– Evite atrasar pagamentos, uma vez que acarretam multas, juros e correções, além de outros aborrecimentos

– Exija notas ou cupons fiscais em nome do condomínio para todo produto ou serviço adquirido

– Promova uma eficiente gestão da inadimplência: contrate, se for o caso, assessoria jurídica especificamente para isso

– Monitore os consumos de água, gás e luz das áreas comuns: elabore estudos voltados ao consumo individualizado de água e gás, e ao uso racional da água (reuso, coleta de águas pluviais, outros)

– Cadastre a edificação por unidade familiar na Sabesp, se estiver em São Paulo

– Verifique a possibilidade da substituição da iluminação da garagem e áreas comuns por lâmpadas de menor consumo e maior durabilidade

– Faça vistorias periódicas e as respectivas manutenções na rede elétrica, hidráulica e de gás

– Observe as rotinas de manutenção dos equipamentos de segurança como recarga de extintores, para-raios, portas corta-fogo, pressurização de escadarias, elevadores e escadas rolantes, luz piloto, CFTV, proteção do perímetro, e, quando for o caso, iluminação, sinalização e a biruta do heliponto

– Providencie a manutenção preventiva dos equipamentos de lazer instalados nas áreas comuns, especialmente os da sala de ginástica, do playground, das quadras, da sauna, da área no entorno das piscinas, para citar alguns

– Mantenha guardados em local seguro os documentos importantes do condomínio, como pastas mensais de prestação de contas e outros, e, quando pertinentes, AVCB válido e RIA (Relatório de Inspeção Anual dos elevadores)

– Torne possível e facilite a reciclagem do lixo produzido pela massa condominial, bem como a reciclagem do óleo de cozinha.

Imagem

Sobre Orandyr Luz

Consultor, articulista e palestrante, especialista em gestão condominial. Autor dos livros "Evolução Histórica do Condomínio Edilício", São Paulo/SP: Editora Scortecci, 2013, "O condomínio daquela rua - Histórias e causos nesse ambiente peculiar", São Paulo/SP: Editora Biblioteca 24horas, 2015 e "O condomínio & você - Práticas de gestão condominial", Curitiba/PR: Ed. Juruá, 2018. Ciclista, leitor, cidadão.
Esta entrada foi publicada em financeiro com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s