Na Holanda, casas flutuantes são solução para era do aquecimento global

Com uma xícara de café na mão, Willem Blokker sobe dois lances de escada até o espaçoso terraço de sua casa. Ele se gira, deixa-se cair no confortável sofá e pergunta: “Entende agora por que, para nós, é como estar sempre de férias?”

O holandês de 52 anos vive numa das 43 casas flutuantes que formam um bairro aquático em Amsterdã, cuja construção foi concluída em 2011. O local é chamado Steigereiland (Ilha de Ancoradouros), pois suas moradias são posicionadas como navios num porto, dos dois lados de quatro longos ancoradouros.

Blokker está felicíssimo com seu pequeno reino flutuante de três andares e um amplo terraço, com área total de 160 metros quadrados – apesar de ter que fazer uma ou outra concessão.

Imagem

http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2014/04/07/104170-na-holanda-casas-flutuantes-sao-solucao-para-era-do-aquecimento-global.html

Sobre Orandyr Luz

Consultor, articulista e palestrante, especialista em gestão condominial. Autor dos livros "Evolução Histórica do Condomínio Edilício", São Paulo/SP: Editora Scortecci, 2013, "O condomínio daquela rua - Histórias e causos nesse ambiente peculiar", São Paulo/SP: Editora Biblioteca 24horas, 2015 e "O condomínio & você - Práticas de gestão condominial", Curitiba/PR: Ed. Juruá, 2018. Ciclista, leitor, cidadão.
Esse post foi publicado em sustentabilidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s