Não moro aqui, é só investimento! Causo #14

Rebeca é uma pessoa fina, culta, daquelas que transitam em qualquer ambiente – sofisticado ou muito simples – com a mesma desenvoltura.

Heitor, seu marido, é funcionário de uma empresa estrangeira, cujos donos ainda não vieram definitivamente para o país, mas, cada qual adquiriu um apartamento num dos empreendimentos de alto padrão da zona sul da capital: um belo condomínio-clube.

A Heitor – que é muito competente e querido dos patrões – foram confiadas as chaves dos imóveis para qualquer eventualidade e, quando quisesse, usufruir de todos os itens de lazer do condomínio.

Assim, certo dia, Rebeca e seu personal trainer estavam na academia do condomínio quando, de repente, entrou uma senhora falando alto… com ninguém! Indignada, ela discorria sobre um barulhão que dizia vir do apartamento de cima:

“Barulho insuportável de salto de sapato pra lá, salto de sapato pra cá! Ai, ai, não aguento mais!!!” – desabafou a mulher.

Quando percebeu a presença de Rebeca, aproximou-se e disparou:

– “Ah, que-ri-da, não é você, é? Qual é o seu apartamento?”

De pronto, e sem titubear, Rebeca respondeu:

– “2204 e 2205, mas não moro aqui, é só investimento!”

skyline sp (2)

Barulhos, nem seria preciso dizer, são reclamações recorrentes em condomínios.

Quando ocorrem diuturnamente podem minar a sanidade mental do cidadão, como parece ter acontecido com a senhora que dialoga com Rebeca, nossa protagonista.

O direito ao descanso é sagrado, e protegido por lei. Não é aconselhável relevar, seja a que título for, quando se convive com vizinhos barulhentos, por mais “gente fina” que possam ser.

Abra um diálogo franco com eles, exponha a situação e deixe-os demonstrar que merecem sua consideração.

Anúncios

Sobre Orandyr Luz

Consultor, articulista e palestrante, especialista em gestão condominial. Autor dos livros "Evolução Histórica do Condomínio Edilício", Editora Scortecci, 2013, São Paulo/SP, "O condomínio daquela rua - Histórias e causos nesse ambiente peculiar", Editora Biblioteca 24horas, 2015, São Paulo/SP e "O condomínio & você - Práticas de gestão condominial", Ed. Juruá, 2018, Curitiba/PR. Ciclista, leitor, cidadão.
Esse post foi publicado em convivência e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s